não importa o tempo
o resultado do exame de sangue
o planejamento do quando
os lençóis novos
as mudanças de planos

não importa o legado
o quebra-cabeças do passado
os nomes manchados
o contrato assinado embaixo

me despreocupo de tudo
que, percebendo bem, não é meu mundo
e espero sem espanto
a água ferver na chaleira vermelha
para o chá de gengibre com limão

importa seus traços que ficaram
e essa noite solitária povoada
do seu cheiro bom

importa a grandiosidade
das cebolinhas selvagens
crescendo no quintal

importa esse corpo que balança
conforme o vendaval