Quero te reencontrar para ver se reencontro em mim algo

Para ver se chovo nos jardins de dentro e se encontro novas trilhas

para cachoeiras escondidas

Quero te ver para resgatar a faísca do dia e ceder as tentações da poesia

De testar palavras novas em minha pele

Para deixar que os poros chorem a mágoa de todos os dias que se fizeram invisíveis

E depois sentir o amargo mais doce de seguir sozinha outra vez