Perdi há tempos as segundas intenções
Interesses eu só tenho pelo que me acende e conquista
Perdi a postura e o que se nota em mim é o meu peso verdadeiro
Eu vivo sem ensaios, sou sincera dos meus defeitos
Por muito tempo nessa vida, pensei que o meu maior medo era perder a minha independência
Mas hoje sei que o que me mete medo mesmo é me perder de mim mesma
Nada em mim está vendido, nada em mim está à venda
Talvez assim, eu encontre alguns olhares verdadeiros e um espaço na sarjeta
Só me resta este destino torto, estas palavras, estes sentimentos
Alguém aí se interesse por um punhado de clareza?