Infelizmente aqui falta nobreza de sentimento, falta vontade de querer encher a sala de estar com finas malhas poéticas e tentar alcançar uma forma menos restrita de sentir a vida

Infelizmente aqui endeusa-se um amor vazio e sofre-se quando ele não se transforma e acaba sem deixar nada, entra-se em outro amor para viver exatamente o mesmo ciclo, sendo a mesma pessoa e pensa-se que isso é renovar-se e sentir-se vivo

Infelizmente, seguimos esse cardápio pobre da vida, e ele não tem nada de simples, é que nem x-tudo, qualquer ingrediente extra que se adicione parece agregar valor mas empobrece. Enche os espíritos, empapuça, mas não nutre, não sacia. 

É preciso vontade e coragem para querer mudar de cardápio, é preciso lapidar os sentidos, é preciso experimentar ingredientes desconhecidos, é preciso ousar e conversar com o medo de perder o gosto gordo e fácil do comodismo.

Obesidade de almas também matam um coração.