Seus olhos entram sem bater na porta, sem pedir licença, invadem, se apropriam de meus territórios desconhecidos. Seu olhar que chega e fica, mergulha em meus oceanos e fisga tantas emoções, enche o cesto da vida e sorridente e farto e transbordando me mostra essa fartura que eu não procurava encontrar. Seus olhos castanhos densos de terra fresca, que sabem me retirar de mim e desarmar todas as grades. Me desprotegem, aquecem, acalentam, me mostram tantos caminhos e então, partem.