Ciência (ainda) sem nome

Pareciam ser apenas pequenos e insignificantes pontos desconexos
mas eram vestígios de um pincel de Deus
que na intenção de limpar o marrom dos pelos
para poder brincar com outras cores 
na camurça de sua pele
agitou no ar seu instrumento de trabalho
deixando cair imperfeitos, aleatórios e desregrados
pingos melanóicos 
em toda a sua extensão
Foi o mesmo tipo de descuido
que abarrotou o céu de estrelas
quando Deus chacoalhou seu pincel no ar
depois de tê-lo mergulhado num 
líquido prateado purpurinoso
E foi num distraído acaso que um dia desses
um homenzinho apreciador de arte contemporânea
quis dar significado a essas sujeirinhas grudadas no firmamento
e ligando os luminosos pontinhos 
mapeou as almas e criou a astrologia 
revelando que o meu destino se atrelava ao seu
Vejo agora esse acaso se repetindo
ao percorrer meus dedos nos seus pontinhos
e perceber que essas insignificantes sujeirinhas grudadas em sua pele
ao se conectarem, 
formam um coração concreto
que já nasce morando na palma da minha mão