Umbigo

No tempo do relógio

no passo enfileirado

o futuro, a unidade e a razão

Na linha do progresso

prisão de pensamento

o bloqueio da visão

 

Eu mudo o seu sentido

Me faço de refúgio

o presente, a quimera e o abraço

Quebrando o seu feitiço

integro os paradoxos

desfio as linhas do laço

 

No peso do destino

Na conta da ciência

a monotonia e a compreensão

Na vida estruturada

certa, sóbria e sensata

na cláusula do manual de instrução

 

Eu sou sua sereia

misturo as verdades

desmesurando seu chão

Eu sinto com o instinto

entorpecida te ensino

a arte da invenção

 

Na veia da coragem

no pulo para a cova

nas linhas da expressão

Te pesco pelo umbigo

resgato os seus sentidos

o mito, a poesia e a inspiração