O Lar

O lar
é um prato raso com letrinhas de macarrão separadas da sopa para eu brincar de criar palavras (e irromper a precoce necessidade de ser poeta)
são os galhos do velho pé de tamarindo brotando flores de primas (e irmã) e protegendo todas do monstro do fim da infância (que a gente profeticamente chamava de ‘acabô’)
é o cheiro doce dos tacos de madeira recém encerados na grande sala da casa da avó
e também o cheiro azedo da pequena sala cheia de tios dormindo depois do almoço de natal
é o silêncio do avô dormindo atrás do jornal aberto
é Maria cantando a música da menina feia de saia amarrada na cintura

O lar
é uma viagem de ônibus de 3 dias para Buenos Aires
é uma cama de grãos verdes de café
são tantos olhares (mas só aqueles que souberam mutuamente mergulhar)
é um semântico reencontro depois de 12 anos
é o primeiro encontro
são todos os primeiros encontros
é uma rosa roubada amanhecida no quintal

O lar
são melancólicos olhos verdes detrás dos óculos
e barbas escuras e depois brancas sempre atrás de livros
É a descoberta de uma cachorrinha de rua na calçada
e de um gato peludo na fronha do travesseiro
são crianças nascendo na família

é um muro fácil de ser pulado, dando acesso ao deliciosamente proibido
é um ônibus errado, são trilhas de 2 horas e passeios de barco nas ondas calmas do tsunami
são vinhos, castelos, óperas, trens, bicicletas, quatro pés
é um chico buarque
é uma caixa cheia de cerveja no final da festa
é uma rave na kitnet
e uma terra do nunca onde mora o sol
é uma banda inventando valsas
é um sol nascendo da lagoa
e do outro lado do mundo se pondo no mar

O lar é uma mochila
um avião
um mar
uma concha na areia
sandalhas
um email
uma carta
uma mensagem
uma madrugada
um vestido
o seu cheiro
uma cerveja no copo americano
um pão com manteiga
um papel e uma caneta

Não tenho condições de narrar todos os meus bens
Pela amplitude! O meu lar é um labirinto sem fim
e eu sou tão rica que já não me encontro mais nos quartos temáticos de minhas mansões.
e tenho tantos herdeiros, todos os que compartilham dessas lembranças, e os que as escutam ou as lêem…
também os que têm outras tantas lembranças em que minha pessoa mora, isso também são meus alqueires
e quanto mais herdeiros tenho, mais cresce o meu legado, mais aumenta o meu lar