Quando Você Odeia e não Sabe a Razão

Quando você odeia e não sabe a razão

Dá nomes a um sentimento que te causa opressão

Não entende, mas culpa:

com as percepções limitadas julga.

Irmão! A sua dor vem de uma camada superior!

Você odeia porque uma faísca se acendeu na Matrix

Um momento de consciência explodiu em seu coração.

E você nomeia, se agita, quer lutar, quer fugir, quer xingar,

Quer rasgar com unhas e dentes os cenários que te enquadram, te desenham e te incorporam

Sua raiva é mais profunda e elevada

O mesmo Deus que você busca todos os dias e para o qual vende a alma, vende o tempo, a vida, todos os seus sentimentos e que é razão de suas buscas.

Esse mesmo Deus que formata todos os âmbitos de sua vida é quem te prende num inferno.

Sua raiva é de um sistema muito maior do um país.

Sua raiva vai permanecer mesmo que você alcance as mãos de Deus.

Porque ele não é libertador como você sonha.

Seu medo de dividir e assim se afastar de Deus te cega.

Então você se agita mas depois você come, dorme, compra, transa, acumula, vive por procuração na frente do que te dá algum tipo de prazer hipnótico.

Então você marcha no exército do sistema do qual odeia.

Tua vida te despoja de ti mesmo.

E tudo que você tem são faíscas de consciência mal usadas, mal aproveitadas.

Que te agitam para um sentimento de raiva.

E tudo que você deveria ter são faíscas de amor

Pois o único horizonte sem limites e que ainda não foi mapeado,

o único ambiente menos escravizado

é o de dentro.