por que todas as minhas orquídeas morrem?
se em tantas mesas de consultórios
elas florescem desapercebidas num canto da mesa
e em árvores das ruas das cidades aos olhares apressados
elas crescem
nos balcões dos bares ofuscadas pelos copos de bebidas
elas vingam

por que as minhas orquídeas perdem as pétalas
na primeira florada?
eu que observo os sinais, ofereço luz, água, espaço, silêncio...
eu que adivinhei as lições pesadas da vida
tirando leite de pedras, quebrando muros de concreto
eu que já tenho solas para pisar descalça os percalços

em minhas mãos atentas, as orquídeas se perdem.

só as flores rudes e teimosas sobrevivem em meus canteiros excessivamente férteis

mi amor va a medir
la densidad de su locura
la profundidad
de sus ojos
se degustará del fuego
de vida en su pecho
mi amor
va a medir la sagacidad
de su sonrisa
la osadía en dejar
los labios ser
delicadeza
por una noche entera
mi amor va a sentir
la poesía en su rutina
va a observar su gana
de descubrir glorias
en nuevas infancias
mi amor
va a inflarte aire
para ver si su corazón
tiene el coraje de ir así
tan alto
como
yo

missão

é fácil escrever um poema
difícil é 
– pelas décadas que se agregam
pelos vícios que me pegam
pelos sonhos que se quebram
– não deixar morrer
o olhar de encantamento

é fácil escrever um poema
difícil é fazer do corpo templo
capturar na veia e no verso
os ritmos do silêncio

é fácil escrever um poema
talvez leve alguns minutos apenas
talvez surja num sonho
numa alvorada do peito
numa madrugada embriagada

difícil é deixar a fenda aberta
despir as máscaras
desconstruir os passos
reinventar a existência
cotidianamente

é fácil sentar e escrever um poema
difícil é resistir
e fazer da vida
poesia

brand new years eve

I don’t wanna know
what star sign your moon faces
I don’t wanna be
part of your working days
I just wanna you to see
the sun rising on me
on a special
Sunday morning

cause, babe,
I wanna be
Your brand new
years eve

No, babe, I don’t wanna be
your morning alarm
I don’t wanna be
your yawn and your easy
warm lap
I don’t wanna be
on your bed
near to your dead hands

Cause, babe,
I just wanna be
Your brand new
years eve

You are the feather tickling
my feet
The needle
piercing
my routine bubble
The unbeat of my heartbeat

And all I wanna for you and me
is only this

me deixa dançar
sozinha
me deixa falar alto
me deixa ficar
na minha

eu vim aqui só pra ouvir
o som, o samba
mexer o corpo
descompassada

tira a mão
para de perguntar
de onde eu vim
pra onde eu vou
o que eu faço

não quero saber
quanto custou
a sua viagem
para Fernando de Noronha

para de querer me impressionar!
eu não vou segurar
a sua cerveja
enquanto você tira
minha amiga pra dançar
ela também não quer
nada

a gente veio aqui
pra se divertir
It’s a girls night
e eu não sou carne
exposta no seu
mercado barato

não quero te ouvir
que sono!
sai do caminho
me deixa sambar
tira os olhos
aqui é meu território

to aqui pela banda
pela brisa, pela lua
pela rua, pelo mar
sai!
eu vim aqui só pra dançar

te impressionar
é a ultima coisa
que quero fazer na vida

sai pra lá!